Quando a paixão acaba para começar uma nova história

O que acontece quando o "amor" pela profissão termina e as perspectivas acabam.

Eis a história de quem vos fala, EU, eu mesma, Alessandra!

"Foi então que eu entendi qual era o meu propósito de vida! Não era trabalhar no palco, mas nos bastidores, cuidando daqueles que fazem o espectáculo acontecer!"

Nascida e criada em São Paulo, nesse mundão de oportunidades, cresci com uma missão um pouco diferente: a que eu me propus a fazer, ser mãe tão cedo, aos 17! Essa arte eu domino! rs

Em paralelo, uma pessoa tão jovem, na época, tinha que "se virar nos 30" para dar conta de tudo, de si mesma, da própria personalidade que era tão indefinida!

Fui estudar administração, e amei saber que dentro de mim tinha um perfil de administradora, isso eu já sabia, mas na faculdade tive a clareza dessa vocação. Depois me apaixonei pela contabilidade, até cair de paraquedas no RH... ahhh foi amor a primeira vista!

Mas, depois....

Trabalhar com pessoas foi a verdadeira paixão que descobri, mas ainda não me sentia realizada. Não por causa de um motivo em si, mas pelo ambiente em que as coisas aconteciam. Troquei de empresa, mudei de ares, mas o sentimento ali continuava...

Foi então que eu entendi qual era o meu propósito de vida! Não era trabalhar no palco, mas nos bastidores, cuidando e desenvolvendo aqueles que fazem o espectáculo acontecer! Minhas histórias de vida, minhas experiências profissionais e todo aprendizado que vivi, me tornaram forte, preparada e audaciosa para desempenhar o papel que eu tanto buscava e não sabia: desenvolver pessoas preciosas, lapidando e revelando o verdadeiro brilho escondido... agora sim, quando olho para trás, tudo fez sentido, todas experiências, e todo aprendizado.

Logo, agora após entrar na casa dos 40, entendi porque o ditado "a vida começa aos 40", faz todo sentido para mim. (risos)

Gratidão vida!